Sobre o projeto

Espaço Público é uma plataforma desenvolvida para dar visibilidade, conectar e coordenar as diferentes iniciativas de cidadãos que estão ocupando, se apropriando e transformando espaços públicos em Brasília. O objetivo é mostrar como os brasilienses estão usando a sua cidade, ampliar eventos e ocupações de espaço público e servir como base para um planejamento urbano mais inclusivo e democrático.

A ideia é divulgar iniciativas iniciadas pelos cidadãos, a fim de fomentar a imaginação, a criatividade, as experiências coletivas e a crítica em cidades contemporâneas como Brasília. Não se trata de atacar Brasília ou os fracassos do planejamento modernista - de fato, as próprias características da cidade deram origem a comportamentos e criatividade únicos. Mas trata-se de questionar a rigidez da política e do governo que não considera necessidades e desejos da população.

Trata-se também de repensar a democracia e nossos papéis como cidadãos urbanos, e redefinir espaço público e participação. É por isso que é importante que os grupos que estão reinventando a cidade estejam mais inseridos na política local, participem, falem e sejam ouvidos. Daí a importância das diferentes vozes se unirem, para que Brasília possa ser aquela cidade inclusiva e democrática que ela imaginou ser. Daí a importância do espaço público +

+ A plataforma tem a intenção de ser usada e construida coletivamente. Peço a compreensão, pois ainda está em construção. Por favor entre em contato para dar sugestões e colaborar com o projeto!

+ O mapeamento realizado não abarca todas as iniciativas do Distrito Federal, e é enviesado por experiências e redes de contato pessoais. Se sua iniciativa não estiver mapeada ou você souber de iniciativas que estão faltando, por favor preencher formulário ou entrar em contato com espacopublicobsb@gmail.com.

+ Este projeto está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

METODOLOGIA E PERGUNTAS FREQUENTES

+ O que é espaço público?
O espaço público é o espaço fundamental da democracia. Seja no espaço físico de uma calçada, praça, ônibus, escola. O espaço que possibilita a mistura e a convivência de pessoas e pensamentos diferentes, e que é aberto a todos independentemente de renda, raça, gênero ou ideologia. O espaço público, porém, não é dado - ele é construído pela ação coletiva. Portanto, mais do que espaços públicos físicos e fixos, para efeitos deste projeto, espaço público é aquele que é construído por meio de ação coletiva e que seja abertamente acessível; consuma recursos coletivos; que tenha impactos comuns; e /ou seja palco para o desempenho de papéis públicos, seja permanente ou temporário.

+ Plano Piloto x Brasília x DF
Eu entendo que muitas pessoas não se identificam com Brasília e que consideram Brasília como algo diferente do Distrito Federal. Não considero Brasília como Plano Piloto ou como conjunto tombado e sei que é um termo ambíguo. De forma geral, eu misturei os dois termos, mas consciente do valor que um tem sobre o outro. Acho importante entendermos que não podemos pensar de Brasília e DF como coisas isoladas, mas que se misturam no imaginário coletivo e no planejamento urbano. Tudo que é decidido para o conjunto tombado afeta o restante do território, seja em termos de habitação, infraestrutura, mobilidade, empregos e serviços públicos. Como eu comecei o projeto em um contexto internacional, usar Brasília em vez de DF fazia mais sentido para comunicar o projeto, devido ao ser valor histórico e urbanístico.

+ Como você fez os guias de ocupação de espaço público?
Os guias foram elaborados a partir das conversas que tive com diferentes grupos e indivíduos, onde eu tentei entender como eles se organizam, e quais são os recursos e processos necessários para ocuparem o espaço público - seja para eventos, hortas comunitárias, intervenções urbanas, etc. Os guias servem como ponto de partida, mas o ideal é que fomente trocas entre novos participantes e aqueles que já estão na rua.

+ Que tipo de ocupação foi considerada no mapeamento?
O mapeamento de iniciativas foi realizado por meio de conversas informais, entrevistas, experiência pessoal e eventos de facebook. Foram consideradas apenas iniciativas abertas ao público (sem cobrança de qualquer tipo de ingresso ou em que o espaço seja inacessível) e que ocorram com algum tipo de frequência - não foram considerados eventos de bairro/superquadra que aconteceram apenas uma vez. Para as ocupações permanentes, foram considerados espaços com algum tipo de estrutura que indique permanência e/ou que promova o uso coletivo/público do espaço.

+ De onde vieram os dados do projeto?
Os dados usados nesse projeto tem diferentes fontes: a) As iniciativas mapeadas vieram de experiência prévia em Brasília, por eventos do Facebook, artigos de jornais, entrevistas e questionários; b) Densidade populacional, raça e renda média foram obtidas pelo IBGE; c) Dados urbanos foram obtidas pelo Geoportal do GDF.
Outros dados vieram do Mapa das Desigualdades do DF e de artigos de jornais.